Quais são seus objetivos? Saiba como formulá-los para alcançar o sucesso!

Luis Perdomo
Quais são seus objetivos? Saiba como formulá-los para alcançar o sucesso!

Por Luis Perdomo:

Formular um objetivo, apesar de ser uma coisa que fazemos todos os dias, é algo que pouquíssimas pessoas conseguem realizar com um alto grau de certeza, de forma a atingir esse objetivo formulado.

E o segredo está justamente na formulação. Na Programação Neurolinguística (PNL) existe algo chamado “boa formulação de objetivos”. Uma vez que você deseja algo ou queira atingir outro estado, se sentir bem com você mesmo ou, por exemplo, na sua carreira, atingir um determinado patamar é conveniente e interessante começar pela boa formulação do objetivo.

O primeiro passo é discutir quais partes ou se todas as partes dessa formulação estão em suas mãos. Por quê? Grande parte dos objetivos falham, porque nós os organizamos e preparamos de forma a colocá-los nas mãos dos outros. Por exemplo, se eu definir que a minha felicidade só ocorrerá quando meus pais estiverem felizes, estou colocando nas mãos dos meus pais, a minha própria felicidade. Tirei das minhas mãos e do meu poder a capacidade de fazer alguma coisa a respeito.

Então, o primeiro passo, e talvez o mais importante, é definir claramente o objetivo em uma estrutura pró-positiva. E o que isso significa? Muitas vezes você define os objetivos da seguinte forma: quero um trabalho em que eu não precise trabalhar aos finais de semana, ou seja, uma formulação negativa; já uma formulação pró-positiva seria: eu quero um trabalho que me permita ter finais de semana livres. Então, meu cérebro e minha mente vão trabalhar para isso. Quando formulo o objetivo dizendo o que eu não quero que aconteça, o meu cérebro se confunde e passa a trabalhar contra mim mesmo. Primeiro, é preciso pensar no emprego que tenha os finais de semana e, dessa forma, passo a encontrar empregos que trabalham somente de final de semana. Então, no primeiro passo é importante definir de forma pró-positiva, ou seja, definindo o que eu quero que aconteça.

O segundo passo é discernir se aquilo que você deseja está em suas mãos. Em outras palavras, eu tenho ou posso adquirir todos os recursos para atingir esse objetivo?

O terceiro é verificar todos os passos que devo dar, considerando o que desejo (de forma pró-positiva, de acordo com o primeiro passo) e que está em meu poder fazer isso (o que já foi analisado no segundo passo), porque cada passo que vou dar deve ser planejado. Mas basicamente, nesse terceiro passo, eu vou fazer simplesmente uma lista. É como se fosse um checklist de tudo o que deverá acontecer para que eu chegue lá. O objetivo desse terceiro passo é não me esquecer de nada e definir exatamente o que vem primeiro e o que vem depois em cada um desses passos. Seria muito desagradável dar o terceiro passo e não ter dado o primeiro ou o segundo, então essa lista serve para isso.

O quarto item da boa formulação do objetivo é uma parte que chamamos de verificação de congruência e ela tem a ver conosco. A pessoa que tem mais poder para fazer com que deixemos de atingir nossos objetivos, somos nós mesmos. Fazemos isso, porque alguma parte de nós não está de acordo com aquele objetivo. Por exemplo, você pode decidir que em seu planejamento que vai fazer sua pós-graduação na Europa, mas ao mesmo tempo, outra parte de você, considera muito importante passar os últimos anos de vida da sua mãe junto a ela. Então, você tem duas partes que são muito interessantes: fazer uma pós-graduação na Europa ao mesmo tempo em que outra parte de você reconsidera isso. A este conflito, chamamos de incongruência. Então, a solução dessa incongruência ocorrerá quando desenvolvermos um processo estruturado de negociação entre as partes. Omitir uma das duas não resolverá o conflito, irá, na verdade, apenas esconder esse embate, que voltará a aparecer mais tarde. Então, esse passo é muito importante no momento em que definimos os objetivos, que é agora, durante toda essa etapa de formulação. Ao encontrar uma incongruência é importante parar e resolver, aliás, esse é um dos critérios da boa formulação do objetivo, você não passa para o próximo passo, sem ter resolvido o atual, por isso, a estrutura é importante.

O quinto é o que chamamos de verificação ecológica. Entendendo aqui ecologia como o equilíbrio do sistema. O equilíbrio de você como ser humano e profissional dentro da sociedade, seu sistema de valores, seu sistema familiar, enfim, chamamos de verificação ecológica, justamente porque envolve tudo isso. A verificação ecológica, dentro desse contexto de ecologia, funciona para quando nos projetamos no futuro e nos vemos, sentimos e ouvimos neste futuro já tendo atingido a meta que definimos. Então, perguntamos para nós mesmos lá no futuro, se está tudo bem, se era isso mesmo que queríamos. Porque, uma das coisas mais desagradáveis que pode ocorrer, é você trabalhar muitos anos da sua vida, dedicar muito esforço e quando chegar lá, descobrir que não era o que você queria. Então, na verdade, a verificação ecológica tem essa função, quando você se projeta no futuro imaginando já ter alcançado essa meta, o que vai ver e sentir? Qual será sua percepção quando estiver lá? É, realmente, o que queria? E se isso não for completamente ajustado, você pode repetir todo o processo várias vezes até ajustá-lo.

O sexto e último passo, funciona da seguinte forma: quais são as evidências de que eu estou chegando lá? É conveniente para nós fazermos um planejamento a longo prazo, definindo as evidências que vamos encontrar pelo caminho. Uma evidência, por exemplo, é: se estar com o diploma na mão, for um dos passos que eu escolhi para alcançar meu objetivo final, quando isso deve ocorrer? Assim, essa será uma evidência de que eu continuo no meu planejamento. Depois, com esse mesmo diploma, posso obter outra evidência ao entrar em determinado processo de avaliação e estágio, que eu tenha definido como interessante para atingir meu objetivo. Mas não é qualquer estágio, é aquele que eu defini lá atrás em meu planejamento, isso sim, será uma evidência.

Então, é importante criar já hoje, uma série de marcos temporais que serão evidências de que se está chegando lá, ou seja, trilhando o caminho certo. Por quê? Porque, muitas vezes, os planos começam de forma muito solta e no meio do caminho, você vai para outros lugares que não tem nada a ver com seu plano original e em algum momento pode se frustrar. Sem problema algum, mudar a qualquer momento o seu objetivo, mas a evidência vai te ajudar a saber que você está realmente mudando o objetivo e que aqueles anos e aquele esforço que você investiu, pode servir agora para um outro objetivo e isso não é um problema; o problema é você não ter evidências e um dia se dar conta de que caminhou em uma direção muito diferente daquele objetivo que havia traçado. Por isso, as evidências são tão importantes.

Com isso, você profissional e, principalmente, estudante em início de planejar sua carreira, já poderá fazer esse exercício passo a passo, colocando toda a boa formulação do objetivo em prática para atingir suas metas.

 

Leia também:

Saiba o que se espera de você

Feedback é necessário em Educação Física

 

Comentários »